terça-feira, 31 de maio de 2016

Politica

Política

Aristóteles sábio cientista
Se quer artista
E não ator
Senhor na Grécia
Democracia não era peripécia
Palavra o labor

O Brasil é assim
Nem para você
Nem para mim
Egos transmutados
Disse Camus

Sangue, suor e sexo
Bandeiras francesas
Democracias gregas
Libélulas brasileiras
Lodaçal, carnaval
Espetáculo seminal de ignorância
Das letras

Não apreciam livros
A escrita
O que dita o inconsciente
O que vem à mente
O que o povo sente.

Não há estrutura
Não há cultura
Nâo há razão!

Não há guerra,
Apenas metáforas vadias
Alavancando egos
A subir aos palanques
Da demagogia.

Concentremo-nos em nós
Póstumos e universais
Pensadores astrais
Em felizes finais
Sem canais de TV.

Anderson Carlos Maciel

Nenhum comentário: