sábado, 18 de junho de 2016

Obra de arte


Obra de não-arte
Versos brancos
Versos santos
Louve-os

Assassinam deuses
Sussurram aos homens
O que comem
O que deixam de comer

Arte de obra
Rapsodo canhestro
Eu sou
Ou não sou

A opção do ser
Empareda-se no rio de concreto
Abstrato
Trato semântico
No reto crivo - reto!
simbiótico:
Criador e obra

Toda obra é arte
Toda arte é obra
Mãos humanas e concepção
Vão o verbo que não significa
Implica
E não cria
Vazia sua vida
Garrida sua sangria
Incoerência na visão
Quer dar lição
Quer levar pela mão
Aonde não atina
Sua sina
Esquecimento e canção

30.000 décadas após
Esquecimento verde-oliva
Cabelos brancos
Da malandra saudade
Pela cidade cativa
Do chavão
Clichê
e métrica piegas
Das noites cegas
E do corpo burro
Empreendendo revolução

Sono na cidade das luzes
Tédio alcaçuz

Anderson Carlos Maciel

Nenhum comentário: