sexta-feira, 22 de julho de 2016

Shakespeare bugre


Aéreos, tatos, qual atos
Remédios, sensatos
Acordos de fato
Rumos nortes
Rimas fortes
Doces beijos

Sentido: circunscrição
Aedos elípticos forma e canção
Em caravelas, em brasas
Em sentinelas
Em casa, enfim

Tua falta, nossas sobras
Linhas, pautas, alíneas
Cordéis ilustrados
Visões do amanhã

Criativa Argentina
Bolsa de valores peregrina
Torpor em fazer parte
De quê?

Blocos econômicos
Das novas identidades
Remediam falácias
Quais acácias-cifrão

Enxergue pela minha visão
Cometa gafes, - trabalhe para eles
Dinheiro para o luxo da cafeína
Mas não o suficiente para as cáries:
Sustentabilidade paradigma das pernas

No gráfico das angústias
Uma leitura estável

Se quer queira
Ou não queira
Somaria palavras sem vertentes
Contínuas

Elípticos garranchos
Investem libido
A lecionar sentido

Aos quatro cantos
Do seu fracasso próprio.

Ser ou não ser
Shakespeare no Brasil?


 Anderson Carlos Maciel

Nenhum comentário: