terça-feira, 2 de agosto de 2016

Desafio do desfio



Lua minguante após o sol poente
De repente o sem semblante
De que o instante encante a gente
Sobram falantes em rampantes
Eucariontes
Frontes
Qual fontes
Ontem
Marejaram palavras
Sem aljavas
Ou escravas
Escandinavas
Fontes de encanto
Canto o canto
Luz e poder
Se teu amanhecer
Seca-me o pranto
Mais que o santo
Ato próprio
De escrever...

Diga meu nome
Para eu saber
Que sou eu
- doce e delicado -
sonho.



Anderson Carlos Maciel

Nenhum comentário: