quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Ventos


Enluando tuas minguantes
Semblantes de rampantes
Eucariontes frontes
Insinuantes

Como antes
Rios augustos de prazer
Refrões
Sermões da forma
Semântica global
Em explicar

Sim, prazer...

Intelectual, senão

Leitor de inconscientes,
Deixe a têmpora vibrar
Não aspiro a glória
Que me é eterna
Se ela fraterna
Enigma
Se esquivar

Enleio a volta
Às odes a Apolo
Pois sonho desperto
O sonho do deserto
certo
Pausadas exclamações

Conceber
Acabada obra
Arte-final

Lute, lexical!

Conquiste o império
De si mesmo

Viva
O poema
A lira
A musa

Sofra o bullying
Global.

Anderson Carlos Maciel

Nenhum comentário: