domingo, 25 de setembro de 2016

Retilínea utopia



Ela
Democracia
Vazia, - cera da vela

Nuance dos humanismos
teus
Esquerda partidária
Lua refratária
Aos ventos da história
Inglória de muitos
Che Guevaras

A luta agora
Pelo capital

Cortaram a raiz
Pelo mal

O poema
Adereço, adorno
Caro
Na sala de estar
Do neo-burguês

Crianças notas
Nano-contempladas

A enciclopédia
Seca ao sol
Bemol
Da censura interior

Dizem, comentam
Que voo
Com asas roubadas
Quando as tomei
Emprestadas aos anjos
De outro poder
Pretendo devolver
Àquelas boiadas
                    A pastarem
As brancas nuvens
Heteromorfas
De meu "liberalismo"
Menos contemplado:
Teoria da produção.

Verdes superfícies
Não navegáveis
Verdes sóis
             Bemóis
Que não me dizem
Nada
Efetivamente
                Latente
Heteromorfas famílias.

Minha trilha
Subo a montanha
Zaratustra
Eu e minha águia
Prometo a célere descida
A vida
E a revolta cega
Toda tua
- arma -

Idioma escarlate?
Anderson Carlos Maciel

‎ ‎ 

Nenhum comentário: