quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Veias e lágrimas


Longe o amor se emudece
E as palavras cavalgam seres
Noites do corpo: O espírito
Deuses nos cavalgam.

Nenhum livro preencherá
Mais que o beijo.
A gramática encurrala
O sexo, a lógica (...)

Recuso-me, hoje, a versejar
Decorações de paredes
Burguesas.

Nuances do belo estrepam-se
De corpos rejeitados nas luas
Dos adeuses dos pais dos
Muitos Édipos.

Estamos competindo pelas
Lágrimas mais secas.

O vencedor ganha o trono
Da besta.

Anderson Carlos Maciel 

Nenhum comentário: