terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Melados e bagaços.

Suave pluma global
toca-me o ser, deísmo
Nítido, socorre
Aos porres
De amanhecer

Não atino o ponto,
Insosso do Real

Sub iluminada
emergência concorre

Que jorre, que jorre!

Forja o instante deletério
- intelectuais burgueses -
Dos neurotransmissores
No compasso do adeus
Amnésia e paixão

Falo de outros assuntos
Em meu silêncio
Verborrágico

O trágico majestoso
Estudo e sinistro da identidade
Que em quantidade

Releva-nos o jardim.

Édipo, superfície e caule
Verve urbana comum

Milhões de garotos perdidos
Armagedom e salvação

Ensaio de voo
Até o cartório.

Produção
Anderson Carlos Maciel



Nenhum comentário: