quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Receita de tolo.



Sub praticado verbo
Enleva cerda e estopim
Ao sul do sentido

Qual
Feijão e arlequim,
Sem um fim
Ou lógica

Pois quis a água
Assim
Furar a pedra

Fere o discurso
A pretensão de ser
Ser o quê?

Milhões de vezes
Subimos a montanha
Nos desapegar da matéria
E do ego e vaidade.

Para, na descida,
Instigarem nos, telas,
A libido, a nos envaidecer
De quê?

A carniça apodrece
Em estágios sub empáticos
Quando enfáticos os vermes
Vermelhos, escaravelhos
Lhes querem comer

Frio o tempo furta-cor
Labor, labor e mais labor

Risos perturbam o ser
O silêncio
A interpretação da obra
Efeméride
Da cor

Senhor clichê
Você
Impondo o ser
Cópia copiosa de si.
Anderson Carlos Maciel

·

Nenhum comentário: