quarta-feira, 1 de março de 2017

Do outono o verde do fruto.



Desvelado assunto
Academia retesada
Pelas páginas frias
De estrebarias lesadas
Por rumos de puras águas
E sóis de almas não
Conquistadas

Estrada
Nada e tudo

Qual vela, cera, etéreo
Refrão tão teu, céu
E breu canoro

Se conquisto
Se seduzo
Abduzo o usufruto
- Ataraxia -
(sem paixões)

Indiferente gente segue
Sem amar.

Dinheiro, status, fama
Poder, mulheres, coisas,
Vaidade da inteligência

Boa disciplina
Academia, Liceu
Stoa, Pórtico
Zenão mereceu-vos

Ao sol do Brasil
Quem viu, quem não viu
Grécia
Tão

Disputam lágrimas
E pagam
Com veias

Nada racional
Afinal, orbito eu
- Galáxia -
A singularidade do deus
Da lira

Componho a
Sonata do beijo

Por sobre as mesmas
Cavernas globais.

Anderson Carlos Maciel

Nenhum comentário: