sexta-feira, 7 de abril de 2017

ECT e Eu.


A carta, torta,
Sedex
Dos dez ao oito
Sedex oito

Comendo biscoito,
Conclamo, envie
4 bilhões de cartas
Sociais
- De amor -

Aos prisioneiros
Das prisões

Aos amantes e seus
Grilhões

Descuidam da estética
Do valor

O valor monetário
O valor do meu salário
Na carta, que eu
Plebeu
Tão seu, fiel
Escrevo e mando
Desmando e envio
Sem crivo do dicionário
Pois contrário seria
Neoliberal política
Às quatro flores dos ventos

Tão rosas, cálidas, ou não
Tropicália, tomando
Uma só referência
Intersecação Histórica
Eu e outros pontos, pontos
Sim, pontos, pontuação

Longe...
Leve

Qual
Sol
Semibreve

Tuas cartas, teus
Tuas letras
Meu, símbolo, cães
Chuva, sol
Teu sorriso
Tua carta, destarte, só
Torna-se teu e-mail
Constante

Torne tua carta ao léu
Do sentido
Quando friso que
4 bilhões de cartas sociais
Nos quebrariam o galho
Se amam o amor que espalho
Com leve perfume
- Notas amadeiradas -
De uma florada amarela
Grevista
Que em revista, cita, esguela
Artista
A pista do teu coração

Que esperava por ela
A carta.

Segredo nosso, de Estado
Que continuará Estado
Ou não

Como o teu amor na carta,
Privatizado o teu coração
Classista
Dinheiro, monetização
Da tua pista

Post Scriptum
Saudação
E-mail, spam, vã
Filosofia
Socorreria, luz do meu
Dia
4 bilhões e 1 milhão
De cartas sociais

No chapéu deste artista
A salvar minha amada
Agora Elitista
Enigma Ecetista
ECT
Empresa
Capitalista e você
Que nos obriga a ser,
Qualidade
Novidade
Capital
Não intelectual
E parecer
Socialista em não te merecer.

Leve
Pombo-Correio

Aos muitos amantes
Antigos
O abrigo da ECT
O sonho do Estado
Metaforizado em você
O ser do Estado

Em estado de amor
Pelo social cidadão

Entregando 4 bilhões
De cartas de amor
Que ensinarei todos
A escrever.

Escrever a mão
Ou e-mail,
Ou pensamento
Ou ideia, neoliberal
Sem um pingo de vergonha
No i da peçonha

Que quer nos vender
Ao capital estrangeiro

Exilar-nos em nós mesmos
Todo inglês é uma ilha
E o Brasil é uma pilha

Do Brinquedo Mundial

Até o Natal, até o Natal.
Leitor

Sem-carta

Ass. ECT.

Anderson Carlos Maciel

Nenhum comentário: